A ansiedade tem afetado milhões de pessoas no mundo. Nas últimas décadas, esse problema ganhou maior visibilidade na mídia e internet por ser diagnosticado cada vez mais. Mas o que é ansiedade, de fato? Como controlar a ansiedade e qual o tratamento? Entenda tudo isso através de nosso post.

O que é a ansiedade?

Embora ao longo do tempo o termo ansiedade tenha ganhado conotação similar a um transtorno, é importante lembrar que, na verdade, a ansiedade é uma emoção relativamente normal ao ser humano. Em situações de estresse, nervoso ou mesmo medo, o sistema nervoso libera uma série de hormônios que, por sua vez, provocam reações fisiológicas que caracterizam essa aflição: suor, calor excessivo, tontura, entre outros sintomas. Esses sentimentos são acompanhados pela percepção de estar em perigo, estar ameaçado ou mesmo vulnerável em relação a um ambiente ou pessoas. Mas como uma emoção humana normal se transforma em um sério transtorno?

Ilustração representando uma pessoa com sentimento de ansiedade

Representação de como se sente alguém que sofre de ansiedade

Quando todas essas reações fisiológicas citadas se manifestam de forma excessiva no indivíduo, isso causa um sofrimento físico e emocional, o que caracteriza o Transtorno de Ansiedade como uma síndrome propriamente dita, sem contar a dificuldade na realização de funções ocupacionais, como no caso de algum trabalho, relacionamentos sociais e mesmo atividades cotidianas.

Portanto, quando pensarmos sobre o que é ansiedade, é importante sempre discernir entre a emoção normal e o prejuízo que os sintomas, em intensidade excessiva, podem causar a alguém. Em se tratando da ansiedade como um transtorno, há várias classificações. A partir de agora, saberemos melhor sobre cada uma delas:

Tipos de ansiedade

Quando falamos de Transtornos de Ansiedade, devemos ter em mente que vários problemas estão incluídos nessa definição. Embora nem todos que possuem esse transtorno sofram de todos os problemas incluídos na descrição, também é muito provável a pessoa sofrer com mais de um desses problemas. Veja só:

1. Ansiedade generalizada

Esse problema é caracterizado pela preocupação excessiva do indivíduo com a resolução de todo tipo de situação, mesmo quando estas fogem totalmente de seu controle. Depois de 3 a 4 meses com esse tipo de obsessão, é aconselhável procurar um médico para analisar o estado psicológico e tentar controlar a ansiedade.

2. Ansiedade social

A ansiedade pode culminar em uma espécie de fobia social, caracterizada pelo temor da interação social. As pessoas que sofrem de ansiedade social se sentem mal e desconfortadas diante de outras, sendo elas estranhas ou familiares e, embora isso possa ser tratado de forma natural para a maioria, para outros é algo muito sério.

3. Síndrome do pânico

Sendo uma dos mais populares Transtornos de Ansiedade, a Síndrome do pânico é caracterizada por crises inesperadas de desespero, medo intenso de que algo aconteça e sentimento de perigo iminente a todo o momento. Ao constatar a permanência de medo agudo, recorrente e inesperado, é necessário consultar um médico.

4. Transtorno Obsessivo Compulsivo (TOC)

Já o Transtorno Obsessivo Compulsivo, mais conhecido pela sigla TOC, é conhecido popularmente pelo indivíduo tornar-se fixado em ideias e rituais compulsivos, bem como obsessões de imagens perfeitas que chegam a mente da pessoa.

5. Transtorno de Estresse Pós-Traumático

Esse outro distúrbio de ansiedade é caracterizado por diversos sinais e sintomas físicos, psíquicos e emocionais em decorrência do indivíduo ter experimentado situações traumáticas de forma geral. A recordação do momento gera uma proporção de ansiedade alarmante, que, por sua vez, leva a dor e sofrimento. É essencial consultar um médico especialista e iniciar um tratamento o quanto antes o diagnóstico for feito.

Existem diversos outros distúrbios de ansiedade, causados por fatores e situações variadas. É necessário ficar atento aos sintomas, que serão abordados mais especificamente em nosso próximo artigo.Mulher jovem com a cabeça apoiada em suas mãos, representando ansiedade generalizada

Para conhecer mais a fundo cada um desses tipos de ansiedade, você pode acessar este link.

Depois disso, veja as informações que separamos para ajudá-lo a saber como controlar a ansiedade e conheça melhor os tipos de tratamentos para ansiedade.

Como controlar a ansiedade

Quando a ansiedade se transforma em algo excessivo, é preciso descobrir como controlá-la. A melhor forma de controlar a ansiedade é, primeiramente, diagnosticando-a como um transtorno. Depois disso, os tratamentos podem a fazer a diferença nesse controle. Conheça melhor cada uma dessas formas:

  1. Sessões com psicólogos e outros especialistas: Uma das formas de controlar a ansiedade é a partir de sessões com psicólogos e outros especialistas no estudo desses tipos de transtornos.
  2. Medicamentos: Existem diferentes tipos de medicamentos para tratar a ansiedade e outros distúrbios psicológicos. Todos eles devem ser adquiridos mediante prescrição médica e indicação de especialistas. Alguns deles são ansiolíticos (dissolução da ansiedade), enquanto outros funcionam como antidepressivos. Esses antidepressivos agem sobre os neurotransmissores cerebrais e, com isso, aumenta o nível de energia psíquica, fortificando a pessoa e diminuindo a quantidade de preocupação e medo e, consequentemente, menos ansiosa. Por fim, também é possível realizar tratamentos a partir de tranquilizantes ou anti psicóticos.

Depois de entender melhor o que é ansiedade, quais são os tipos de transtornos de ansiedades e, ainda, como controlar a ansiedade, se torna muito mais fácil diagnosticar, tratar e mesmo prevenir um agravamento de qualquer um deles. É preciso conhecer o máximo possível de informações para que possamos saber como vencer a ansiedade, que tem sido chamada por muitos como “o mal do século”.

Fique ligado em nossos próximos artigos, confira mais detalhadamente a questão dos sintomas dos transtornos de ansiedade e comente o que achou de nossas informações.

Ansiedade, Saiba O Que É E Conheça Seus Sintomas
5 (100%) 2 votes

ATENÇÃO

As informações contidas neste artigo não se destinam a substituir o tratamento com um profissional da saúde qualificado (médico ou psicólogo). As informações devem ser usadas apenas como referência e não servem como aconselhamento médico. Se você está lutando contra algum tipo de transtorno do humor, recomendamos que procure um terapeuta experiente. A combinação de boa informação e terapia fornece a forma mais eficaz de tratamento.