Problemas com o sono? Você sabe o que é a melatonina?

A melatonina é vista por alguns como um remédio perfeito para dormir. Sem efeitos colaterais, ajuda a pessoa a adormecer mais rapidamente e pode comprar sem receita. Mas será que as coisas são bem assim?

Cada vez mais vemos anúncios de venda de melatonina e pessoas comprando as doses mais altas disponíveis.

Mas antes de tomar este complemento, conhecido também como “hormônio do sono”, é importante saber o que está ingerindo. Afinal, natural não necessariamente significa seguro!
Entenda o que é a melatonina, como ela funciona e descubra se realmente ela serve para você ao ler este artigo até o fim!

O que é a melatonina

Para saber o que é a melatonina é interessante primeiro saber como os cientistas descobriram este hormônio e sua função.

A melatonina foi originalmente descoberta na década de 1950, quando um laboratório de dermatologia achou que ela desempenhava um papel na pigmentação da pele.

Todos os pesquisadores tomaram uma grande dose desse novo produto químico, esperando que sua pele ficasse mais clara. Mas a única coisa que aconteceu foi que todos ficaram com (muito) sono.

Eles acabaram percebendo é que a melatonina é o hormônio que diz ao corpo quando é noite. Ela é produzida na glândula pineal, uma estrutura em forma de pinha localizada no fundo do cérebro.

Quando atinge a corrente sanguínea, a melatonina age como um mensageiro. Como que o corpo responde à mensagem depende de cada animal. Os ratos, por exemplo, são noturnos. A melatonina então desempenha o papel de mantê-los acordados.

Nos seres humanos e outras criaturas que habitam o dia, ela prepara o corpo para descansar e ajuda a manter esse descanso durante a noite.

Como a melatonina age em nosso corpo

Como exatamente a melatonina age ainda é algo que não foi muito bem compreendido. Acredita-se que este hormônio desative as áreas do cérebro envolvidas na vigília.

Anúncio

A melatonina também pode desempenhar um papel na redução da temperatura corporal, que é necessária para o sono.

O que já se sabe é que a melatonina ajuda a definir o ritmo do relógio circadiano no nosso corpo. Os cientistas demonstraram que, quando as pessoas recebem melatonina à tarde, seus relógios corporais podem ser induzidos a pensar que é muito tarde e ficam sonolentos mais cedo.

Isso pode ser útil se você está sofrendo de jet lag e seu corpo acha que ainda está em um fuso horário anterior, por exemplo.

O uso da melatonina tem efeitos colaterais?

A pesquisadora Patty Deuster, da Uniformed Services University of Health Sciences (Serviços Uniformizados da Universidade de Ciências da Saúde) dos Estados Unidos, foi a autora sênior de uma análise sistemática de 2014 sobre a melatonina.

Esta análise de Deuster fez o relato de efeitos adversos em todos os 35 estudos que realizou. No entanto ela não encontrou nada muito sério. O efeito colateral mais comumente relatado foi a sonolência (resultado de tomar melatonina) e dor de cabeça.

Entre os efeitos colaterais relatados a curto prazo estão a sonolência matinal, ocasionalmente enurese noturna (o famoso xixi na cama), dor de cabeça, náusea, tontura ou diarreia.

Mas Frank Scheer, que estuda cronobiologia em Harvard, diz que há alguns casos em que a melatonina pode ter efeitos adversos. Para algumas pessoas com uma variante genética específica, a melatonina prejudica a capacidade do organismo de processar a glicose no sangue.

Ou seja, a melatonina não é totalmente inofensiva, precisamos ter cautela.

Os riscos do uso a longo prazo também não foram avaliados. “Não há estudos claros além de seis meses de duração sobre o uso de melatonina”, diz Scheer.

Usar a melatonina é seguro?

Segundo o Centro Nacional de Saúde Complementar e Integradora (National Venter for Vomplementary and Integrative Healt) dos Estados Unidos, a melatonina parece ser segura quando usada no curto prazo, porém adverte que não há estudos que comprovem a segurança a longo prazo.

Além disso, o uso continuado não é recomendado principalmente porque os problemas do sono geralmente são resultado de algum outro distúrbio, como a apneia do sono.

Segundo Dick Wurtman, cientista cognitivo do MIT, “se você apresentar ao seu cérebro níveis de melatonina muito superiores aos que ocorrem normalmente, você dessensibiliza os receptores do cérebro para a melatonina”.  “Você se torna cada vez menos e menos responsivo.”

Anúncio

Uma importante observação: há um estudo em que os pesquisadores perceberam que suplementação de melatonina pode piorar o humor de pessoas com demência.

A melatonina é a solução para a minha insônia?

A primeira coisa que precisamos levar em consideração é que precisamos identificar a causa da insônia. Ela pode ser resultado de diversos fatores, como ansiedade, horário irregular de dormir, jet-lag (quando viajamos para um outro fuso horário), ambiente, entre outros tantos.

Nada adianta recorrer à melatonina ou a um medicamento qualquer, sem prescrição médica, se o problema for ansiedade, por exemplo. Para cada problema, uma solução. Deixe que seu médico indique o que é melhor para você!

Considerações importantes sobre o uso da melatonina

  • Primeira coisa: caso você ou um membro da sua família tenha problemas para dormir, um médico deve ser consultado.
  • Sempre informe todos os seus profissionais de saúde sobre quaisquer complementos que você use, como a melatonina. Dê a eles uma visão completa do que você faz para gerenciar sua saúde. Isso ajudará a garantir um atendimento seguro e coordenado.
  • Doses mais baixas de melatonina geralmente são tão eficazes quanto doses mais altas. Portanto, a menor dose possível deve ser usada. Na maioria das vezes 1 a 3 mg, uma hora antes de dormir, é a dose usada em crianças como ponto de partida.
  • A maioria dos suplementos alimentares não foi testada em mulheres grávidas, lactantes ou crianças. Nisso está incluída a melatonina.
    Se você está grávida ou amamentando uma criança, é muito importante consultar seu médico antes de tomar qualquer medicação ou suplemento, incluindo a melatonina.
  • Alguns suplementos dietéticos, como a melatonina, podem interagir com medicamentos ou representar riscos se você tiver problemas médicos ou se for passar por uma cirurgia.
  • Tomar um suplemento de melatonina é algo sério, pois pode afetar seu relógio biológico.
  • O FDA (“vigilância sanitária” americana) regula os suplementos dietéticos, como a melatonina. Porém os regulamentos para suplementos dietéticos são diferentes e menos rigorosos do que os regulamentos para medicamentos.
  • Para usar suplementos dietéticos como a melatonina com segurança, leia bem e siga as instruções do rótulo. Repetindo, “natural” nem sempre significa “seguro”!

Fontes:
https://www.vox.com/2016/4/25/11425856/what-is-melatonin-sleep
https://www.msn.com/en-us/health/healthyliving/melatonin-is-a-natural-sleep-aid-but-heres-why-you-should-stop-taking-it/ar-BBPv1Io
https://nccih.nih.gov/health/melatonin
https://blogs.rch.org.au/drmargie/2015/12/23/melatonin-for-sleep-should-i-use-it/
https://blog.withings.com/2014/08/26/10-things-you-didnt-know-about-the-sleep-hormone-melatonin/

Atenção!

O conteúdo deste site tem caráter meramente informativo e não substitui uma consulta a um profissional da saúde.

Procure sempre um médico ou psicólogo.

1 comentário
  1. Hagner Dias Diz

    Boa noite Cláudio. Meu nome é Hagner Dias. Sou de Três Corações-MG. Sou policial militar há 10 anos e, antes disso, fui Fuzileiro Naval da Marinha… Sei que esta apresentação foge do padrão mas tem um fundamento… Eu sofri, durante mais de 10 anos com problemas do sono… Não só a insônia, mas também com “apagões” durante o dia devido às muitas noites e dias acordado. Já cheguei a ficar 7 ou 8 dias ligado, direto em diversos tipos de treinamentos e missões. Era uma tortura quando tínhamos que optar entre comer ou dormir… Obviamente, escolhiam os comer. Mas onde quero chegar com essa conversa? Ocorre que, depois que esta fase de treinamentos e adaptações acabou, os sintomas do stress permaneceriam por longos e tortuosos anos. Ocorre que há um ano eu conheci uma boa opção para resolver esse problema.

    Eu já tinha ido ao médico e já havia tomado Diversos remédios como Rivotril e outros de mesma sinergia alopática… Mas nenhum resolvia pois os efeitos colaterais eram devastadores ao organismo…

    Um certo dia, um amigo americano, Mat Hall, que estava no Brasil para uma convenção, me apresentou algo tão simples que inicialmente eu não dei importância e até cheguei a rir dele… Pela simplicidade com que ele me apresentou.

    Mas hoje eu já não consigo me ver sem esta preciosidade.

    Ele me apresentou os Óleos Essenciais, compostos aromáticos voláteis totalmente naturais e puros, que hoje fazem parte da minha vida cotidiana. Minha qualidade de vida melhorou 300% pois voltei a dormir melhor, a me alimentar melhor e por consequência, o stress e a ansiedade foram dominados.

    Eu não acreditava nesses óleos pois nunca havia ouvido falar… Mas hoje, já não consigo me ver sem… E não é pq eles causam dependência… Mas pq eles libertam.
    A única coisa que digo sobre cuidado, é que devemos sempre buscar óleos essenciais 100% puros e livres de conservantes ou sintéticos (obviamente)… E com certificação de pureza o que permite a utilização de forma INTERNA ou ingerida.

    Mas o resultado foi e está sendo INCRÍVEL.
    Existem óleos essenciais para diversas ocasiões e aplicações… Inclusive para suporte e tratamento para depressão, e outras doenças tão silenciosas quanto a insônia.

    Fique com Deus e espero ter contribuído para vida de alguém 😜

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Nós supomos que você está de acordo com isso, mas você pode sair, se desejar. Aceitar Leia Mais