Transtorno Bipolar e Relacionamentos

Os sintomas mais comuns do transtorno afetivo bipolar são as oscilações repentinas de humor, levando a pessoa do estado eufórico (mania) a um estado depressivo. A intensidade do quadro pode variar de leve a grave.

Essas oscilações afetam consideravelmente a capacidade de adaptação de uma pessoa que sofre com essa doença. A instabilidade emocional pode levar alguém com esse transtorno a se ressentir de relacionamentos afetivos.

Por esse motivo a combinação entre relacionamentos e transtorno bipolar pode ser complicada. Afinal, pode ser muito difícil para alguém ter um relacionamento com alguém que experimenta mudanças drásticas de humor.

Manter um relacionamento sério requer conhecimento um do outro, compreensão, flexibilidade e também certa estabilidade. Relacionar-se com alguém que experimenta episódios maníacos e depressivos pode ser um obstáculo no caminho dos relacionamentos.

Neste artigo você verá como o transtorno bipolar condiciona o círculo social da pessoa que sofre com ele.

O transtorno afetivo bipolar

As pessoas erroneamente se referem a mudanças em suas opiniões, pensamentos e sentimentos como traços bipolares. Ou seja, acredita-se que estar feliz em um dia e triste no outro é ser “bipolar”.

O transtorno bipolar não é mudanças de opinião a respeito de algo.

Não, não é nada disso. Uma série de criteriosos requisitos deve ser atendida para que uma pessoa seja diagnosticada como portadora do transtorno bipolar.

Para ter o transtorno bipolar, você precisa experimentar episódios de euforia em que você exibe comportamentos impulsivos. Estes comportamentos podem envolver grandes gastos, planos radicais ou mesmo fazer mudanças radicais nos planos já existentes.

Além disso, você tem que passar por episódios depressivos também. Se você quiser saber mais pode ler nosso artigo sobre o transtorno afetivo bipolar aqui no blog.

Resumindo: ser muito feliz em um dia e muito triste no dia seguinte não significa que uma pessoa é bipolar. A maioria das pessoas exibe alterações de humor ou personalidade com frequência. Isso não significa necessariamente que eles estejam mentalmente desequilibrados.

Os Relacionamentos e o Transtorno Bipolar

Como já foi dito, relacionamento e transtorno bipolar pode ser uma combinação complicada. No entanto é possível que pessoas que sofrem deste transtorno levem uma vida perfeitamente normal, quando o distúrbio é controlado e a pessoa está estável.

Anúncio

Nesse sentido, as pessoas com transtorno bipolar podem se apaixonar como qualquer outra pessoa. No entanto, se elas estiverem em uma fase maníaca em que estejam eufóricas e excessivamente positivas, podem confundir seus sentimentos.

Ou seja, de uma forma geral, apaixonar-se ou iniciar um relacionamento é a mesma coisa, tanto para pessoas com o transtorno bipolar quanto para pessoas mentalmente saudáveis. Porém é preciso ter cautela para não iniciar um relacionamento romântico durante episódios maníacos.

Além disso, quando pensamos em transtorno bipolar e relacionamentos, sentimentos instáveis ​​vêm à mente. Ou seja, se pensarmos em ter um parceiro com transtorno bipolar, é muito provável que visualizemos um relacionamento caótico e em constante mudança.

Pessoas com o transtorno afetivo bipolar podem sim ter relacionamentos estáveis!

Nada está mais longe da verdade. Graças à medicação psiquiátrica, terapia e acompanhamento psicológico, uma pessoa bipolar é capaz de manter relacionamentos estáveis sim!

Transtorno bipolar e mudanças de opinião

O transtorno bipolar não está relacionado a mudanças de opinião. Por esse motivo, não devemos imaginar que uma pessoa com transtorno bipolar mudará constantemente suas idéias, atitudes, motivações e objetivos.

No entanto, é muito importante considerar que os níveis de energia de uma pessoa com transtorno bipolar podem mudar significativamente de uma semana para outra. Consequentemente, isso pode afetar os planos feitos anteriormente ou a disposição de fazer algumas coisas, como viagens, por exemplo.

Estar em um relacionamento com uma pessoa que tem transtorno bipolar requer ajustar-se às suas mudanças mentais e físicas. Se tratado adequadamente, não será um obstáculo intransponível.

Se você tem um relacionamento com uma pessoa com transtorno bipolar

Ter um relacionamento com alguém com transtorno bipolar não criará necessariamente grandes problemas. No entanto, há certas coisas a serem consideradas.

Para começar, ter um relacionamento com alguém que tem transtorno bipolar envolve saber tudo o que puder sobre essa doença mental. É necessário que ambas as pessoas no relacionamento saibam como uma crise se manifesta e como lidar com isso. Por exemplo, o parceiro de alguém com transtorno bipolar deve estar ciente dos sinais que precedem um episódio maníaco.

Além disso, os níveis de estresse diários devem ser tratados com um cuidado especial. Eles podem desencadear episódios em que o humor de uma pessoa se torna extremo.

Portanto, os casais têm que encontrar um equilíbrio na distribuição de tarefas e responsabilidades para que a pessoa afetada não seja sobrecarregada.

O que você pode fazer se você sofre do transtorno bipolar

Algumas das coisas que você pode fazer para evitar problemas caso você sofra do transtorno afetivo bipolar:

1. Conte ao seu parceiro sobre o seu transtorno

Faça isso antes de assumir um compromisso de longo prazo com alguém. Descreva o que eles podem esperar quando você estiver passando por uma mudança de humor. Também é importante contar-lhes o que você costuma fazer para controlar seu humor.

Anúncio

Dessa forma seu parceiro não ficará surpreso quando você tiver um episódio de mudança de humor. Eles podem até ser capazes de ajudá-lo a passar por isso.

2. Seja honesto

Se você está tendo um episódio grave e lutando com os seus sintomas, não hesite em falar para o seu parceiro e pedir ajuda quando precisar.

Por exemplo, se estiver passando por um episódio depressivo e não quiser sair de casa, explique isso ao seu parceiro em vez de dar uma desculpa para ficar em casa.

3. Siga com o tratamento

Talvez a melhor maneira de reduzir o estresse no relacionamento seja seguir com o seu plano de tratamento.

Isso pode ajudar a minimizar seus sintomas e a reduzir a gravidade do seu transtorno. Discuta seu plano de tratamento com seu parceiro para que ele possa ajudá-lo a manter o controle.

4. Mantenha uma linha de comunicação aberta

Diga ao seu parceiro quando você sentir que uma mudança de humor está acontecendo para que ele não fique alarmado com uma alteração repentina no seu comportamento.

Além disso, esteja aberto a ouvir quando ele disser que está percebendo que o seu humor está “diferente”. Muitas vezes os outros podem ver mudanças em nosso humor quando nós mesmos não podemos.

Conclusão

As pessoas com transtorno bipolar têm que manter uma rotina rigorosamente controlada. Elas têm que manter horários de sono e de refeição estáveis, evitando mudanças súbitas.

Se a pessoa afetada começar a se sentir “estranha”, ela precisará de compreensão e empatia. Tenha em mente que ela não é culpada pela dor que sente nem pela dor que causa.

Assim, ter um parceiro com transtorno bipolar envolve muita adaptação. Por outro lado, a situação pode melhorar com acompanhamento psiquiátrico e psicológico.

Anúncio

Quanto mais o casal entender o distúrbio, menos o relacionamento sofrerá. Lembre-se de que a ciência avança todos os dias em relação às doenças mentais e que, em princípio, o transtorno bipolar não precisa ser um obstáculo intransponível em nenhum relacionamento.

Fontes

Atenção!

O conteúdo deste site tem caráter meramente informativo e não substitui uma consulta a um profissional da saúde.

Procure sempre um médico ou psicólogo.

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Nós supomos que você está de acordo com isso, mas você pode sair, se desejar. Aceitar Leia Mais