8 Dicas para Lidar com um Cônjuge Deprimido5 min read

Quando um dos cônjuges tem depressão o casamento pode acabar prejudicado. Viver com um parceiro que está deprimido e que muitas vezes é infeliz, crítico e negativo não é fácil . Ao mesmo tempo pode também ser difícil convencer um marido ou esposa a obter ajuda.

“A depressão varia enormemente em gravidade, mas tem muitos impactos comportamentais que podem afetar profundamente todos os relacionamentos importantes”, diz Jay Baer, ​​psiquiatra e diretor de serviços ambulatoriais no departamento de psiquiatria do Hospital Brigham and Women, em Boston.

A depressão é resultado de mudanças na química do cérebro que influencia o humor, os pensamentos, o desejo sexual, o sono, o apetite e os níveis de energia – todos fatores que podem afetar o casamento, além de desestruturar a vida doméstica e familiar. (Assista ao vídeo Vivendo com Depressão para entender um pouco mais)

Casal triste sentado em um banco de praça, vistos por trás.

Um casamento pode terminar por causa da depressão. Alguns cuidados podem ser tomados para evitar que isso aconteça!

Existem casamentos que terminaram por causa da depressão? Certamente!“, diz Baer. Mas esta condição também pode ser trazer a união: há muitos casos em que um casal enfrenta a doença, que se torna mais um dos muitos desafios da vida, disse ele.

Aqui estão algumas dicas e conselhos para quando um dos cônjuges tem depressão.

1. Tente manter-se no mesmo time

O inimigo é a doença e não a esposa ou marido com depressão“, disse Baer à LiveScience. Unam-se para combater a depressão, em vez de permitir que ela desmanche o casamento. Trabalhe ativamente para ajudar seu cônjuge a melhorar, seja fazendo uma caminhada diária, oferecendo uma carona para uma consulta médica ou assegurando que a medicação seja tomada.

2. Não fique atolado em estigma ou sentimentos de raiva

Lidar com a depressão de um parceiro pode provocar raiva e ressentimento, especialmente se um dos cônjuges costuma inventar desculpas para as ausências sociais de um ente querido, ou se algumas responsabilidades domésticas precisam ser alteradas temporariamente.

Quando um dos cônjuges age de forma desinteressada e não afetuosa, a vida sexual e o nível de intimidade do casal sofrerão. Há também um sentimento de vergonha por ter um distúrbio mental, que pode impedir o cônjuge deprimido de procurar ajuda para uma doença tratável.

Casal brigado com um coração atrás

Não deixe que ressentimentos tomem conta de você!

3. Ajude seu cônjuge a obter um diagnóstico e tratamento adequados

A doença pode impedir uma pessoa deprimida de reconhecer que precisa de ajuda ou procurá-la, por isso muitas vezes é o cônjuge não deprimido que expressará preocupação e sugerirá um plano de ação.

Para abordar o tópico, diga: “Eu te amo, mas detesto vê-lo sofrer. A depressão é um problema comum e você não deveria ter vergonha de tê-la, então vamos descobrir mais sobre essa doença juntos”, sugere Baer.

4. Mostre receptividade

Incentive o cônjuge deprimido a falar sobre como ele está se sentindo, pensando ou agindo, e escute sem julgar. Se alguém está em uma depressão grave, você pode ouvir coisas que podem assustá-lo, disse Baer. Por exemplo, um cônjuge deprimido pode questionar seu amor pelo parceiro ou seu interesse em permanecer juntos. Adie as decisões sobre o seu casamento até depois de um episódio depressivo.

Homem confortando a esposa, segurando sua mão.

Mostre receptividade, acolha e ouça sem julgar.

5. Ofereça-se para ir ao médico

“É incrivelmente útil ver um paciente deprimido junto com sua cara metade”, disse Baer, ​​”porque o cônjuge é frequentemente uma fonte rica de informações e observações. Um cônjuge não deprimido pode ser o primeiro a notar mudanças de comportamento no ser amado e essas percepções são valiosas durante o tratamento”.

6. Dê às crianças e adolescentes informações apropriadas à idade

A depressão não afeta apenas o casamento, mas atinge também toda a família. As crianças podem perceber que algo está errado.

De uma maneira sensível e honesta, fale sobre a doença com as crianças para que elas não se sintam amedrontadas ou preocupadas. Alguns pais deprimidos dizem que sentem ter uma obrigação para com seus filhos, por exemplo, levantar-se de manhã cedo e levá-los à escola. Isto ajuda-os a sentirem-se úteis.

7. Seja paciente com o processo de tratamento

É de se esperar uma certa quantidade de tentativa e erro no tratamento, diz Baer. Mas a boa notícia é que os médicos muitas vezes podem ajudar as pessoas com depressão a sentirem-se melhor e a “funcionar” melhor com uma combinação de medicação e psicoterapia, acrescentou. Com o tempo e o tratamento adequado, a depressão pode ceder.

8. Entenda que a depressão geralmente é uma doença episódica

Quando o cônjuge tem depressão, esta pessoa passa por períodos ruins e bons. Às vezes há lugar para uma terapia de casais, disse Baer. “Você pode trabalhar com o casal para melhorar seu relacionamento, mas isso deve ser feito em um momento separado, quando sua esposa ou marido estiver se sentindo melhor”, disse ele.

Enquanto isso, o cônjuge não deprimido pode precisar recorrer a um amigo ou terapeuta de confiança para obter apoio emocional quando se sentir sobrecarregado ou provocado.

Conclusão

Seu casamento pode sobreviver à depressão. Lembre-se que ninguém escolhe ter esta doença e é justamente neste momento que o amor deve prevalecer. Lute pela união do casal, tenha paciência e compreensão. Lembre-se que vencer os problemas juntos vai deixá-los mais unidos. Não deixe de procurar ajuda médica e psicológica, se possível para os dois. Deixe os preconceitos de lado e seja feliz!

Aqui no blog tem um vídeo muito interessante da Organização Mundial da Saúde que explica a depressão e outro que fala como devemos tratar uma pessoa deprimida. Não deixe de assisti-los!

Gostou deste artigo? Compartilhe e comente no final da página!

 

8 Dicas para Lidar com um Cônjuge Deprimido5 min read
Avalie este artigo!

Deixe um comentário!

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.