Seu filho sofre bullying? Saiba como descobrir e ajudar!

Seu filho está sofrendo bullying na escola, no bairro ou no seu condomínio?

Você sabia que vítimas de bullying na infância podem ter problemas de depressão e ansiedade quando forem adultos?

O assunto é tão importante que nos Estados Unidos existe uma organização governamental ligada ao ministério da saúde americano, que tem como única responsabilidade tratar do assunto. Caso tenha curiosidade, pode visitar o site Stop Bullying.

Neste artigo você vai aprender a identificar se seu filho sofre bullying e vai saber o que poderá fazer para ajudá-lo.

O que é o bullying?

O bullying pode ser definido como um comportamento agressivo entre crianças em idade escolar que envolve um desequilíbrio de poder real ou aparente. São agressões repetitivas que ocorrem ou que tem potencial para ocorrer de forma sistemática. É importante frisar que nem sempre a agressão física é utilizada.

Estima-se que quase um terço das crianças em idade escolar tenham sido vítimas de bullying, que também pode ser chamado de assédio. Também foi levantado que 70% das crianças dizem que testemunharam o bullying nas suas escolas.

As crianças que sofrem assédio, durante um longo período de tempo, correm maior risco de problemas com comportamento, humor, desempenho escolar e relações familiares ou sociais.

Sinais de que seu filho está sendo vítima de bullying

É comum as crianças, principalmente os adolescentes, fazerem brincadeiras de mal gosto com os colegas. Normalmente eles chamam isso de “zoação”. Porém muitas vezes ultrapassam o limite da brincadeira e vira o que conhecemos como bullying.

Adolescentes importunando outro adolescente que está sentado numa poltrona. Estão jogando água e outros objetos nele. Esta imagem representa um adolescente sofrendo bullying.
Muitas vezes os adolescentes não entendem o limite entre uma brincadeira e o bullying.

Muitas vezes os adolescentes não entendem o limite entre uma brincadeira e o bullying.

Anúncio

A fronteira que separa a brincadeira do bullying é muito tênue, por isso é bom prestar atenção no seu filho. Assim poderá saber se ele está apresentando sinais de que está sendo vítima de bullying na escola, no bairro ou condomínio.

É claro que apenas um sintoma não indica muita coisa, até porque muitos deles são comuns na adolescência. Mas caso ocorram vários e continuamente, o sinal de alerta deve acender.

Abaixo os principais comportamentos que podem indicar que seu filho está sendo vítima de assédio.

Mudanças de humor e comportamento

Ninguém conhece seu filho melhor que você. Se você notar mudanças repentinas no humor ou no modo de agir do seu filho (como padrões de sono ou hábitos alimentares), estes podem ser sinais de que algo significativo está acontecendo em sua vida. Pode estar relacionado ao bullying, fique alerta.

Perda interesse na escola ou em outras atividades

As crianças que sofrem bullying na escola, durante atividades extracurriculares, no bairro ou condomínio, podem parar de se sentir motivadas a participar de atividades.

Às vezes, a tristeza e a solidão podem fazer com que as vítimas parem de querer participar de atividades, mesmo que a intimidação não esteja acontecendo naquela hora.

Dores de estômago, náuseas, dores de cabeça ou dor

Ser intimidado pode causar muito estresse para as crianças.Isso pode sobrecarregar o corpo ocasionando dores de estômago, náuseas, problemas intestinais, dores de cabeça e outras dores.

Se o seu filho tiver sintomas que melhoram durante os longos períodos de recesso escolar e / ou pioram um pouco antes do início da escola, isso pode indicar que os sintomas físicos do seu filho podem estar relacionados ao bullying ou a outros problemas escolares.

Anúncio

Às vezes, os sintomas físicos podem até melhorar nos finais de semana e começar a piorar no domingo à noite.

Notas em declínio

As crianças que lutam com as notas e o aprendizado correm maior risco de serem vítimas de bullying. Mas a queda das notas também pode ser um sinal de que uma criança está sofrendo bullying na escola.

Imagem mostrando uma prova com a nota F, representando o baixo desempenho escolar, que pode ser sinal de que a criança está sofrendo bullying.
Uma queda no desempenho escolar é um dos sinais que os pais devem ficar de olho!

As crianças que sofrem bullying podem ter uma queda nas notas por várias razões, incluindo ter vergonha de levantar a mão na sala de aula, não poder prestar atenção nas aulas e perder o interesse em se sair bem na escola.

Não ser convidado para festas de amigos / casas de amigos

Crianças que sofrem bullying podem deixar de ser convidadas para casas de amigos ou festas de aniversário porque são os amigos que fazem o bullying. Ou então porque os amigos não querem mais passar tempo com uma criança que é o alvo do bullying (por medo de também virar alvo).

Perder os pertences com frequência

Se o seu filho começar a perder itens com frequência, como livros, eletrônicos ou jóias, isso pode ser um sinal de que outras crianças intimidam seu filho e pegam seus pertences.

Evitar a escola

As crianças que tentam sair da escola, especialmente se costumavam frequentar a escola, às vezes o fazem porque estão sendo maltratadas. Se você perceber que seu filho está tentando evitar a escola, é uma boa ideia fazer perguntas abertas sobre o que seu filho não gosta na escola.

Os 4 tipos de bullying

O bullying pode ser classificado em quatro tipos. Isso ajuda a identificar o que está acontecendo. Afinal, muita gente acredita que a prática de bullying só existe quando há algo físico ou presencial. Independente do tipo de bullying, ele sempre é praticado com o objetivo de intimidar.

Veja os tipos de bullying abaixo:

Intimidação física

Quando uma ou mais crianças se envolvem em comportamentos onde a violência física é usada com intuito de causar danos à vítima.

Os tipos de agressão incluem bater, empurrar e chutar, mas podem  incluir jogar comida ou roubar pertences. Os casos extremos de violência nas escolas devem ser reportados ao estabelecimento rapidamente.

Foto que mostra um jovem empurrando a cabeça de outro contra um armário enquanto um colega ri e filma. Este é um exemplo de intimidação física, ou bullying físico.
O bullying físico ocorre quando a violência física é a forma escolhida pelo agressor para intimidar a vítima.

Intimidação cibernética

Quando uma ou mais crianças usam sites de redes sociais (por exemplo, Facebook, Instagram), mensagens de texto, sites ou outras mídias eletrônicas para insultar, mentir, postar fotos ou espalhar boatos sobre a vítima. No cyber bullying, o valentão pode fingir ser outra pessoa ou fingir ser a vítima.

Intimidação verbal

Quando uma ou mais crianças se envolvem em xingamentos ou insultam a vítima.

Intimidação relacional

Quando uma ou mais crianças deixam a vítima de fora das atividades, optam por não convidar a vítima para festas ou espalham boatos sobre a vítima.

O que fazer se seu filho estiver sendo intimidado

É importante que você saiba como agir caso descubra que seu filho está sofrendo algum tipo de intimidação. Você deve dar espaço para que ele confie em você e não sinta medo de contar o que está acontecendo.

Muitas vezes a criança ou adolescente tem medo que os pais denunciem o agressor por medo de vir a sofrer mais perseguição no futuro.

Leia as dicas abaixo, certamente ajudarão a saber o que deve fazer caso seu filho esteja sofrendo bullying.

Pergunte

Você é o melhor defensor de seu filho. Se você suspeitar que seu filho está sendo intimidado, faça perguntas abertas sobre como o seu filho acha que as coisas estão indo com os colegas da escola ou na sua vizinhança.

Seja solidário

Proporcionar um ambiente acolhedor é uma das formas mais eficazes de evitar o desenvolvimento de problemas emocionais, sociais e comportamentais em crianças vítimas de bullying.

Às vezes isso significa apenas ouvir, em vez de saltar imediatamente para tentar resolver os problemas do seu filho com um valentão.

Não culpe a vítima

Orientar seu filho para ajudá-lo a resolver problemas e melhorar as habilidades sociais pode ajudar as crianças a desenvolver as habilidades necessárias para lidar com o bullying. No entanto, tenha cuidado para não enviar ao seu filho a mensagem de que o bullying é culpa dele.

Incentive atividades extracurriculares

A prática de atividades em equipe podem ser poderosas para as crianças vítimas de bullying. Isso porque elas permitem que as crianças desenvolvam relacionamentos com outras crianças da mesma idade e que também executam atividades semelhantes.

Mesmo que seu filho sofra bullying na escola, encontrar uma equipe à qual seu filho possa pertencer sem sofrer bullying pode protegê-lo de depressão e ansiedade.

Grupo de meninos vestidos de jogador de futebol, se abraçando em círculo, representando uma atividade extracurricular como forma de combater o bullying.
Uma atividade extracurricular pode ajudar a evitar uma depressão futura em seu filho, principalmente se ele sofre bullying.

Evite o excesso de controle e a superproteção

Se seu filho está sendo vítima de bullying, a última coisa que você vai querer fazer é se não se envolver nos problemas da vida dele.

No entanto, cuidado ao tentar controlar tudo da vida do seu filho ou tentar proteger seu filho de qualquer possibilidade de intimidação. Isso pode enviar ao seu filho uma forte mensagem de que ele é incapaz de lidar com a própria adversidade.

Limitar a exposição do seu filho a estas situações também pode tirar importantes oportunidades do seu filho adquirir importantes habilidades sociais.

Seja o exemplo

As crianças enxergam nos pais o exemplo de como devem lidar com a adversidade, comunicar-se com pessoas difíceis, resolver problemas e administrar conflitos interpessoais.

Mostre ao seu filho como interagir com os outros e como se sentir em relação a eles transmitindo confiança, assertividade e comportamentos pró-sociais.

Converse com as pessoas certas na escola

Depois de coletar informações de seu filho, considere reunir-se com os professores dele, com o diretor e com outros funcionários importantes da escola para desenvolver um plano para ajudar seu filho.

Esse plano pode incluir a identificação de um adulto na escola com quem seu filho possa conversar quando ocorre o bullying, aumentar o monitoramento adulto de atividades escolares não estruturadas ou mesmo alterar a sala de aula do seu filho (em último caso).

Incentive as melhores amizades

Mesmo as crianças que sofrem bullying por muito tempo podem ser protegidas de depressão e de ansiedade posteriores se tiverem pelo menos um amigo próximo.

Anúncio

Ajude seu filho a desenvolver mais amizades, incentivando-o a passar mais tempo com amigos íntimos e solidários fora da escola.

Saiba quando procurar ajuda

Descobrir que seu filho sofre bullying é apenas o primeiro passo para manter seu filho seguro.

Se você notar mais mudanças no humor, no comportamento, no desempenho escolar e falta de motivação para participar de atividades ou relações familiares, procure ajuda de um psicólogo ou um médico.

É comum os pais adiarem a procura de um especialista por preconceito ou por não aceitarem que algo pode estar acontecendo com o filho. Porém, esperar pode prejudicar mais. Procure ajuda o quanto antes, se for o caso.

14 Comentários
  1. Andresa Diz

    Muito boas as dicas. Atualmente temos mesmo que tomar conta para que isso não ocorra com nossos filhos.

  2. Will Diz

    Eu já sofri muito bullyng na infância, a preocupação é forte com meu fiho, que está entrando nessa fase. Alem de saber receber ele não pode fazer bullying com as pessoas.

  3. Elvio Diz

    Muitas vezes brincamos, pois parece que tudo hoje em dia é bullying, mas o assunto é sério e cada caso deve ser tratado nas devidas proporções.

  4. Luh Diz

    Tenho um filho em idade escolar e este artigo veio em boa hora. Ficarei atenta aos sinais para saber se ele está sofrendo bullying.

  5. Talita Diz

    Isso é assunto sério e merece atenção especial. Ótimo texto!

  6. Sâmya Nunes Borges Silva Diz

    Nossa, ricas dicas. Vou compartilhar agora para informar mais pessoas. Muito obrigada

  7. lucas vinhal Diz

    Eu procuro sempre estar junto a minha filha e prestar atenção. Tudo aqui em casa resolvemos na base da conversa, mostrando os pontos e escutando o que ela tem a dizer.

  8. Paulo Diz

    E bom ficar de olho e sempre acompanhar melhor nossos filhos. Na minha época eu sentava o braço, e se não aguentava na mão era pau e pedra, mas hoje as coisas estão diferentes e temos que observar melhor.

  9. David Diz

    Ótimo artigo! Parabens!

  10. rodrigo Diz

    temos que tomar cuidado mesmo, isso vem virando rotina ans escolas

  11. YON Diz

    Muito bom o artigo, esclareceu minhas dúvidas!

  12. Mayara Figueredo Diz

    Excelente post, esse assunto é muito importante.

  13. Júnior lenny Diz

    Exclente dica. Obrigado pelo artigo. parabéns..

  14. Maiara Diz

    Complicado demais educar filhos nos dias de hoje, pois a internet disponibiliza uma infinidade de informações, eu utilizo este programa https://apinc.com.br
    para monitorar o que o meu filho faz na internet

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Nós supomos que você está de acordo com isso, mas você pode sair, se desejar. Aceitar Leia Mais